sexta-feira, 24 de março de 2017

Terceirização e outras coisinhas...

Olá!

Como pastor, incentivo o pensar político, mas não como a "salvação" para os problemas, apenas para que não haja alienação...

Não incentivo a defesa do partido tal ou do político tal, pois aprendi na Bíblia que quando se fala de paz, é tempo de tomar cuidado para que não seja na verdade tempo de perseguição e guerra... Minha esperança não está no sistema político, em partidos ou pessoas específicas, apesar de entender que devemos sim "dar a César o que dele é" e ter envolvimento no pensamento político...

Pensando especificamente sobre a questão da terceirização:

Quando digo que não tenho opinião se é bom ou ruim, não é por não conhecer o assunto. É por ver que as discussões se limitam a "certo ou errado" ou "tem que entender" ou, dependendo da profissão envolvida: "mas é diferente"...

Pessoalmente, entendo que o FGTS é para quem não tem capacidade de guardar dinheiro por conta própria. E como muitos não apresentam essa capacidade, o paternalismo dessa regra precisa continuar. Mas entendo que é preciso aprender a fazer por conta própria, pois sei bem que se o valor do FGTS viesse para a mão do trabalhador e esse soubesse guardar, o rendimento até mesmo numa caderneta de poupança seria maior que o do FGTS, rendendo mais para o trabalhador! Mas, mais fácil que criar consciência financeira nas pessoas, é ter o FGTS como paternalista, obrigando a pessoa a ter uma poupança, mesmo que seja com rendimento menor, para garantir que a pessoa não faça a bobagem de gastar tudo por conta própria e ficar sem nada para o futuro... E quem "dá" essa "ajuda", cobra caro, pois o rendimento menor permite ao Estado ter ganhos muito maiores antes de "devolver" o dinheiro das pessoas no momento devido...

Mas muitos terceirizados são contratados de empresas que fazem a reunião dos profissionais para encaminhar ao Mercado de Trabalho de acordo com a necessidade. Mesmo terceirizados, recebem todos os "direitos"... Logo, o aspecto paternalista estaria garantido mesmo em caso de terceirização... E o Estado teria seus "rendimentos"...

O que não consigo é aceitar que para algumas profissões a terceirização já seja realidade, pelo meu conhecimento de acompanhar pessoas nessa situação, há mais de 20 anos e que, para outras, não se pode pensar nisso...

Entendo que se as pessoas guardassem por conta própria, fizessem acordos e contratos "bons para ambas as partes" e soubessem planejar, a CLT seria péssima! Ela só é boa porque as pessoas não sabem fazer "por conta própria" suas negociações, planejamento e poupança! E em vez de ensinar as pessoas a fazerem isso por conta própria, parece mais agradável manter algo que pode até ser pior, mas por conta da incapacidade das pessoas de fazerem o melhor, se torna extremamente necessário. Não seria melhor ensinar as pessoas a negociar, planejar e poupar?!?!? Não... tem que deixar o Estado garantir isso para que o Estado tenha até mais lucro que a pessoa se ela fizesse por conta própria...

Não posso, humanamente falando, criticar a terceirização sabendo que há pessoas que defendem que em umas profissões isso é possível e em outras não é... Ou vale para todos, ou não vale para ninguém! Temos que ser realmente iguais! Se em alguns casos existe a possibilidade de mais de uma forma de negociação trabalhista, isso precisa sim valer para todos! Ou, que ninguém possa fazer negociações diferenciadas... Mas é preciso acabar com essa de "tem profissão que pode"... Em tempos de "ideologia de gênero", defesa que é tudo igual, luta contra o preconceito, como assumir que uma profissão pode negociar de formas diferentes e outras não podem?!? Por que essa divisão entre "profissões"???? Cada um faz a sua parte e todos devem poder negociar da forma como mais lhe seja agradável...

Mas o patrão é sempre o vilão... O Estado fazer mais dinheiro com o "direito" dos trabalhadores é algo bom, mas o patrão é o vilão...

Se fosse para seguir a minha forma de pensar, seria possível para todos, com a devida instrução e capacitação, ter as condições de negociar seus contratos, ter planejamento para atividades e saber economizar para o futuro... Patrões não seriam tão vilões assim, pois iriam precisar de pessoas para o trabalho, e negociariam adequadamente, um bom termo para todas as partes... E o Estado perderia a sua "boquinha" por "garantir direitos", mas na verdade, o que o Estado garante mesmo é o seu próprio "pé de meia" diante da incapacidade das pessoas fazerem por conta própria e precisarem de ajuda... E pode até ser que, com uma Reforma Fiscal, o Estado garanta até mais arrecadação, permitindo ao trabalhador a sua devida negociação e seus rendimentos maiores por fazer tudo por conta própria...

Fico pensando na seguinte situação:

Na comunidade de fé, fomento a tese que terceirização é ruim e defendo as razões nesse momento que o Congresso discutiu o assunto... Aí, uma pessoa que faz limpeza (quem sabe na minha casa ou no condomínio onde moro), outra que trabalha na portaria de um prédio ou condomínio (quem sabe não trabalha até onde eu mesmo moro), outra ainda que faz segurança (quem sabe até no meu condomínio), outra ainda que veio de Cuba no programa "Mais médicos" (que me atendeu ou atendeu outras pessoas da comunidade)... cada uma dessas pessoas me procura perguntando: "Se terceirização é ruim, por que nunca lutaram por minha situação?"... Aí, para defender a tese de "profissões diferentes" ou "atividades meio e fim"... vou ter que começar a explicar que nesse caso, pode... * As situações propostas são totalmente hipotéticas, pois moro em casa fora de condomínio e faço pessoalmente a limpeza da minha casa...

Pra mim, não tem essa de "dividir" entre possíveis e não possíveis... Ou todos podem, ou ninguém pode...

Levando-se em conta que ainda se faz necessário aprendizado em negociação, planejamento e poupança, não deveria ser possível ter terceirização para ninguém e todos deveriam estar ligados ao emprego da mesma forma... Para quem já acha que sabe planejar, negociar e poupar por conta própria ou que quer assumir o risco mesmo que não saiba fazer isso, já existem opções, como ser "Pessoa Jurídica" e prestar o serviço...

Entendo que se as pessoas aprenderem a negociar, poupar e planejar, a CLT será uma prisão, mesmo com terceirização (como citei, há terceirizados que são contratados de empresas que encaminham para o trabalho, e possuem todos os direitos mesmo com a terceirização)... A Terceirização em si não é o fim da CLT... Mas quando as pessoas aprenderem que podem ter mais sabendo negociar, planejar e poupar por conta própria, o Estado vai perder a sua boquinha por garantir direitos que, na verdade, rendem muito mais para o próprio Estado...

Caco Borba

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Nossa linha de substituição da Presidência da República não está bem...

Olá!

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988


Muita gente compartilhou, espero que por conta da piada, a possibilidade de Tiririca ser o Presidente em caso de afastamentos e impossibilidades múltiplas na Linha de substituição da Presidência da República.

A Constituição não fala nada em o "deputado mais votado". Aliás, se não me engano, a única vez que aparece a expressão "mais votado" na Constituição, aparece no plural (mais votados) e refere-se ao "segundo turno" entre candidaturas mais votadas em primeiro turno, sem ninguém conseguir 50% + 1 dos votos válidos (não computados os em branco e os nulos - olha... os nulos que sempre dizem que anula eleição... até na Constituição fala que eles não são contados, mas tem gente que quer anular eleição anulando voto... sobre "voto nulo" pode ler o Art. 77, § 2)...

O que a Constituição fala sobre a "linha de substituição" da Presidência da República?

Art. 80. Em caso de impedimento do Presidente e do Vice-Presidente, ou vacância dos respectivos cargos, serão sucessivamente chamados ao exercício da Presidência o Presidente da Câmara dos Deputados, o do Senado Federal e o do Supremo Tribunal Federal.

Não achei mais ninguém...

Hoje, não temos na "linha de substituição" 2 possibilidades previstas na Constituição:

1) Vice-Presidente;
2) Presidente do Senado Federal.

O que nos resta, então:

1) Presidente da República;
2) Presidente da Câmara dos Deputados;
3) Presidente do Supremo Tribunal Federal.

No caso de vacância de Presidente e Vice-Presidente, quem dessa "linha de substituição" assumir fará apenas por um tempo máximo de 90 dias, quando se deve ter nova eleição. Se a vacância dos dois cargos acontecer nos dois primeiros anos do mandato, eleição (entende-se direta, escolha popular). Se a vacância acontecer durante qualquer momento dos dois últimos anos do mandato, eleição indireta (pelo Congresso Nacional) em até 30 dias. Nos dois casos, apenas para completar o mandato (Art. 81, § 1 e 2).

Vou propor um pensamento, que pode acontecer nos próximos dias, diante da interpretação que o STF deu para manter Renan na Presidência do Senado, sem participar da "linha de substituição" da Presidência da República, porque Renan está "no fim do mandato" da Presidência do Senado...

Se o Presidente da República, Michel, e a Presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen, viajarem juntos, o que não é impossível, assumirá a Presidência da República interinamente o único possível substituto interino, o Presidente da Câmara, Rodrigo.

Caso o avião em que os dois estiverem venha a cair e os dois venham a morrer, Rodrigo receberá essa notícia, sendo ele a única pessoa que poderá substituir até a eleição, quer direta, se tal tragédia acontecer ainda em Dezembro de 2016, quer indireta, quer aconteça tal tragédia em Janeiro de 2017.

Já pensou se a pressão arterial de Rodrigo subisse e ele tivesse qualquer problema de saúde, não podendo exercer a Presidência nesse tempo até novas eleições?

Será necessário que o que o cargo de Presidente da Câmara seja declarado vago para que haja novas eleições, pois como "interino" o Vice-Presidente da Câmara não poderia fazer parte da "linha de substituição", uma vez que a Constituição não dá essa possibillidade, pois se desse, o Vice-Presidente do Senado poderia figurar automaticamente nessa linha, em substituição ao Presidente que não pode figurar!

Ou será necessário que o Presidente do Senado renuncie, para que o Senado escolha novo Presidente para "mandato tampão" que durará até Fevereiro/2017. Se Maia quer mais tempo tendo sido eleito com muito mais tempo que esses poucos 2 meses, imagina o que fariam no Senado...

Ou ainda, o Supremo Tribunal Federal terá que definir quem será Presidente da Corte o mais rapidamente possível...

Quer dizer: era emergencial que Cunha fosse afastado da Presidência da Câmara, pois se Dilma viesse a ser afastada pelo Senado (ainda não tinha sido), a "linha de substituição" Presidencial estaria defasada e a Câmara precisava de um novo Presidente que pudesse figurar nessa linha... Mas agora que Dilma foi mesmo afastada, e a Linha de substituição já tem um a menos, não é importante que o Senado resolva isso, porque falta pouco tempo para uma nova eleição no Senado...

Tudo o que se precisa é "um segundo"... Naquele "um segundo" pode acontecer o que sugeri acima e não teremos ninguém para substituir até novas eleições, caso aconteça antes de Fevereiro...

Acredito que se acontecesse o que apresentei, a Câmara faria eleição... Mas seria mais uma vez um "mandato tampão" e agora com menos tempo, apenas com a missão de substituir o Presidente da República até novas eleições? Quem aceitaria tal missão? Será que o Tiririca aceitaria?

Oremos...

Caco Borba

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Comemorar a unidade... sabendo a verdade...

Olá!

Muitos comemoram a aproximação de grupos religiosos cristãos...

Pode comemorar...

Mas saiba a verdade disso antes de comemorar...

Por exemplo:

A ideia Ecumênica envolvendo o Concílio Vaticano II da Igreja Católica tem como base a ligação, mesmo que de alguma forma, ainda que não direta, com a própria Igreja Católica... Caberia a Igreja Católica nessa ideia oferecer meios de algum tipo mínimo de ligação para que cristãos de outros entendimentos religiosos alcancem alguma forma da salvação ou da graça...

Não acredita em mim? Mas acredita em quem diz que a união é apenas por conta das "convergências"...

Lamento... não se iluda... a união não é por conta das "convergências", mas por conta do entendimento que a Igreja Católica tem de ser a "detentora" da salvação e é a forma que a Igreja Católica tem para dar sua colaboração para que os demais que não fazem parte diretamente da Igreja Católica possam, no entendimento da Igreja Católica, obter alguma medida de graça e salvação...

Faz assim - não acredite em mim nem em quem diz que é apenas questão de "unidade"... Leia o documento por sua conta! Se você consegue fazer interpretação de texto, vai entender exatamente o que eu escrevi...

"Contudo, os irmãos separados, quer os indivíduos quer as suas Comunidades e Igrejas, não gozam daquela unidade que Jesus quis prodigalizar a todos os que regenerou e convivificou num só corpo e numa vida nova e que a Sagrada Escritura e a venerável Tradição da Igreja professam. Porque só pela Igreja católica de Cristo, que é o meio geral de salvação, pode ser atingida toda a plenitude dos meios salutares."

Quer ler "na fonte"? Eis o link -

Se depois de entender isso você ainda quer comemorar, sem crise...

Mas não faça sem o entendimento correto...

Quanto a mim...

Pessoalmente, comemoro a Reforma Protestante... Ela não visava uma ruptura, mas um ajuste da Igreja... Como a igreja da época não queria o ajuste, e muitas coisas ainda não foram ajustadas até hoje (e alguns evangélicos parecem querer voltar aos mesmos erros apontados em muitas das 95 teses de Lutero, agora com outras "roupagens"), eu ainda fico com a Reforma Protestante que, diante da impossibilidade de ajuste, caminhou para a mudança...

Se até em igrejas evangélicas espero o ajuste quando apresentam práticas parecidas com as que tiveram recomendação contrária nas 95 teses de Lutero, quanto mais na igreja católica que também não se ajustou...

Não preciso da Instituição Humana, qualquer que seja, para ter a salvação... Preciso de Jesus... A "ligação na terra" para ser "ligado no céu" não nos torna detentores de nada! Afinal... podemos "ligar" algo que nosso coração, enganoso, queira e isso o Senhor não será "obrigado a ligar" nos céus... Apenas aquilo que o coração que busca a vontade do Senhor "ligar" terá essa eficácia, pois estará "ligando" a partir do desejo do Senhor e não do próprio coração...

Você ainda tem dúvida de quem tem o coração direcionado pelo Senhor? Acha mesmo que devemos ter qualquer outro intermediário ou que alguém, ou ainda alguma coisa ou instituição, pode nos dar alguma coisa ou que precisamos algo além do Senhor Jesus? Romanos 8.12-17 pode ajudar... dê atenção especial ao versículo 16:

12 Portanto, irmãos, somos devedores, não à carne para vivermos segundo a carne;
13 porque se viverdes segundo a carne, haveis de morrer; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis.
14 Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus.
15 Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes com temor, mas recebestes o espírito de adoção, pelo qual clamamos: Aba, Pai!
16 O Espírito mesmo testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus;
17 e, se somos filhos, também somos herdeiros; herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo; se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados.

Forte abraço!

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

A incapacidade de Socializar nas Redes Sociais

Olá!

Uns cobram os outros por falar sobre determinados assuntos... E cada um acha mais nobre o seu assunto e "alienação" ou "moda" o outro assunto...

Mas...

A Rede Social serve para compartilhar, conversar, dividir...

Só que parece impossível que a socialização das notícias seja uma realidade, exatamente porque um não pode falar de um assunto para trazer os detalhes disso e o outro não pode falar de outro assunto, também para trazer os detalhes e, assim, permitindo a todos mais informações sobre todos os assuntos, ainda que alguns falem mais de um, e outros falem de outros... Se eu falar de um assunto e outra pessoa falar de outro assunto, para mim, sem crise! Afinal, apesar de eu falar de um assunto específico, vou gostar da "socialização" das notícias de outro assunto que não estou acompanhando tanto...

Assim, se faria a verdadeira Rede Social: todos podendo falar de assuntos diferentes, socializando a informação e permitindo que quem está acompanhando outro assunto, tenha mais informações sobre mais coisas...

Mas as pessoas preferem achar o seu assunto mais importante e questionam quando outros falam de outros assuntos... Querem um "samba de uma nota só", uma rede social que fale só o que elas querem...

O ideal seria eu postar sobre o assunto que está me incomodando, que estou acompanhando e pesquisando, e ler sobre outros assuntos que outras pessoas estão pesquisando, se informando... Assim, eu poderia "socializar" a informação do assunto que estou acompanhando e ter a mesma "socialização" de assuntos que outras pessoas estão acompanhando... Escrevo sobre uma coisa, ajudo na informação, as pessoas "curtem", "compartilham", se informam, comentam... e eu posso ler sobre outros assuntos que outras pessoas estão acompanhando e posso fazer o mesmo... Mas... as pessoas preferem comentar reclamando que estou falando de um assunto e deixando outro de lado... Em vez de aproveitar a informação sobre outros assuntos, preferem reclamar para que se fale de uma coisa só...

E depois reclamam que a Globo só dá atenção a um assunto... Mas não é isso mesmo que as pessoas querem na rede social ao criticar que se fale de outros assuntos?

O ideal não é praticado... e se coloca uma "capa" de "importância" num assunto para criticar o outro, como se não houvesse importância no outro... Ou se define que outras pessoas estão cuidando de um e que se deve olhar para o outro, como se este não estivesse com o devido cuidado, mas muitas vezes está sim...

Em vez de "socializar" o máximo de informações, as pessoas querem apenas "puxar a sardinha para a sua própria brasa"... Seria ótimo poder acompanhar um assunto e postar sobre ele para ajudar as pessoas na informação e poder ler de outros sobre outros assuntos que não tive o tempo de acompanhar tanto... O fato de acompanhar um não quer dizer que desprezo o outro, aliás, com esse ideal de "Rede Social", onde cada um pode ampliar para assuntos diversos, eu quero encontrar notícias sobre outras coisas, pois eu não vou conseguir ver tudo de todos os assuntos... E o ideal é ter alguém se dedicando a outro assunto que realmente é importante e interessa, e assim podemos ampliar em mais de um assunto... Da forma como as pessoas fazem, não podemos ampliar em nenhum, pois até o "reclamado" como mais importante, fica sem informação, já que as pessoas reclamam em vez de postar sobre o assunto... Na reclamação, nem sempre se apresenta mais informações, apenas se "cobra" o outro por sua posição...

Socializar na Rede Social é utopia... As pessoas querem apenas o assunto que mais chama a atenção delas, em vez de querer saber mais de outros assuntos... Seria legal poder ler um amigo postando sobre a França, outro sobre Mariana, outro sobre o avanço da lama (aparentemente sem nenhuma ação para tentar impedir), outro sobre chacina no Nordeste, outro sobre o avião que caiu no Sinai, outro sobre o avião que caiu e matou gente do Bradesco, outro sobre chacina em São Paulo, outro sobre política a favor da Oposição, outro sobre política a favor da Situação... e outros assuntos mais... já que eu não consigo todos os detalhes sobre todos os assuntos e a imprensa pode sim manipular e saber mais detalhes pode nos ajudar a ouvir a notícia certa, mesmo no meio da manipulação... Mas a "contra manipulação" acaba manipulando também... Logo, o problema não é a manipulação, mas a quem atinge... E na hora de ver mais detalhes sobre mais assuntos, reclamam nas Redes Sociais como se fosse melhor falar de um assunto apenas...

Em vez de reclamar que o outro fala de um assunto e não de outro, devíamos trazer as informações sobre o outro assunto e compartilhar da mesma forma... Assim, teríamos mais informações sobre mais assuntos... Apenas criticando ou reclamando, ficamos apenas sem informações...

Eu preferia mais de outros assuntos... Mas as pessoas que fazem mais barulho na Rede Social querem apenas um assunto ou ficar comparando um assunto com o outro, sem avançar no fim em nenhum... E assim, a Rede Social perde sua importância... Afinal... para contatos há outros aplicativos que permitem o contato...

Pelo menos, essa é a minha impressão... Seria melhor socializar assuntos diversos e ter conhecimento de outras coisas em vez de "martelar" apenas um assunto... Cada um poderia até "martelar" um assunto, mas cada um "martelando" sobre um assunto diferente, teríamos mais informações sobre mais assuntos... e como eu não vou conseguir saber tudo de muitos assuntos, seria legal que pudesse cada um postar sobre assuntos diferentes e assim, permitir a socialização da notícia...

Mas... cada um quer apenas o seu assunto... Assim, não avança na informação... E comparar um assunto com outro não informa nada sobre assunto nenhum... Quem sabe um dia essa visão mude... Até lá, uso muito menos as "Redes Sociais"... Estou nelas, com contatos e afins... mas bem menos postagens...

Forte abraço!

sábado, 18 de abril de 2015

Manipulação "mode on" - e olha que nem é a Globo...

Olá!

Quem tanto reclama da manipulação dos outros deveria tomar cuidado com isso, pois sabe muito bem como a mentira manipulada pode destruir sem razão verdadeira...

Como não fico no que, para mim, configura-se como o "eixo do mal - PT x PSDB", eu vejo os lados diferentes dessa história que manipulam... Alguns só notam a manipulação contra o que eles defendem... Mas a manipulação acontece por todos e com todos... pode ter certeza disso...

Estão divulgando o vídeo EDITADO, com PARTE do papo do Surita (apesar do programa ser do Pânico, Surita monopolizou, perguntou e respondeu...), para dizer que a jornalista do SBT, Rachel, foi "esculachada" em seus argumentos... Se a Jovem Pan está tão "direita" a ponto de demitir um jornalista de mais de 50 anos de casa, o que Surita ainda está fazendo lá? Por que não foi demitido "no ar"? E pode ter certeza: se for demitido, vão dizer que foi por causa desse programa! Porque precisam culpar a "direita", que nem existe no Brasil... Nem direita, nem esquerda... Só alguns discursos e poucos representantes FORA do poder de fato... quando chegam ao Poder mesmo, mudam radicalmente...

Vídeo todo editado e, de quase uma hora de papo, mostra quase 13 minutos do Surita falando, cortando a fala de todos os outros (nessa edição, inclusive, teve gente da bancada do programa que falou "agora é a minha vez, não é?" - e foi contra outro colega de bancada, mas o Surita cortou para que falasse só no próximo bloco)... pra quem reclamou de "blá-blá-blá", de papo, ele (que assumiu que no programa fez isso mesmo, pois é o trabalho dele) falou muito nesses quase 13 minutos que mostra parte do todo do programa... E a constatação de que o Brasil é pobre, sem educação adequada para discernir as informações, por exemplo, da internet, vai contra o Governo que deveria ter feito mais para mudar esse quadro... Só estão vendo, na edição, Surita "esculachando" Rachel, mas ele, nesse tempo, "esculachou" todo mundo... até o Governo...

Mas... o vídeo que está sendo amplamente divulgado é apenas parte do todo...

Surita foi tão extremista quanto disse que os exemplos citados na edição eram extremos... Código de Hamurabi é aplicado para "redução da Maioridade penal"? Isso Surita falou, mas quando alguém queria falar que se a corrupção não "comesse" tanto dinheiro do povo poderíamos ter mais investimento que tentasse diminuir a criminalidade, aí, para Surita, era "outro assunto"... Dizer que o "pobre" vê a desigualdade e decide roubar porque vê um carro de um milhão e pensa que ele não vai ter, então vai pro crime, é extremo, mas os exemplos de crimes violentos não podiam ser usados por outros... Surita não foi coerente com o que ele pedia para os outros! Ele podia fazer na hora dos seus argumentos o que ele não permitia aos outros!!! O argumento de que se ficar tetraplégico e dizer que o Estado que preza pela meritocracia não vai cuidar não é extremo? Ele podia usar esses exemplos, mas os outros não... O exemplo do documentário norte americano não é extremo? Noruega não pode falar, mas o documentário que ele cita, pode... O exemplo da Suécia não é extremo? Não votar em ninguém não é extremo? Não dar opinião não é extremo? Foi muito estranho tudo isso...

Jesus mandou dar a outra face... Mas também mandou dar a César o que é de César e a Deus o que é de Deus... É preciso saber discernir os detalhes disso em vez de ser "extremo" em um dos lados...

Tem uma parte no editado que o Surita não aceita responder ao "se" porque não aconteceu com ele... no completo, Rachel diz que muitas vezes precisamos nos colocar no lugar da vítima, mesmo que não tenhamos experimentado de perto a situação de violência... Ele foi "extremista" por não querer pensar no "se", ficar dizendo que "não aconteceu", quando acontece com muita gente todos os dias... Quer dizer que só se ele sentir na pele ele poderá dizer o que pensa????? Muito extremo... Empatia zero...

Citar Stalin quando se pensa em permitir que presos trabalhem, e possam ser ressocializados com trabalho, não é extremo por parte de Surita?

Ela deu um baile nele no vídeo completo, mas mesmo no EDITADO, ele não esculachou Rachel, porque ela fala muito pouco e a EDIÇÃO privilegia o que ele falou quase que sozinho... E ele esculachou mesmo foi a educação, os políticos, governo, enfim... quem poderia fazer algo para mudar, mas só fica pensando no que dá votos... No que poderia ter esculachado Rachel, no vídeo completo, quando os argumentos dela aparecem um pouco mais (porque Surita "surtou" e falou muito), ela apresentou ideias que derrubavam os argumentos de Surita, mas ele não aceita por falta de capacidade de ter empatia com quem já passou por problemas... Para ele, só se ele sentir na pele, pelo jeito...

E Rachel, de quem foi dito que o "jeito que fala", mesmo que "sem querer", incita o ódio, saiu elogiando, dizendo que quer voltar, cumprimentando... Sabe... tem momentos sim que o jeito ou a hora atrapalham mesmo quem tem razão... Mas tem momentos! Não é toda vez, não é só porque quem se sente ofendido quer... Tem momentos que quem não quer mudar usa essa "desculpa", mesmo que não se aplique, afinal, isso é muito subjetivo... Já está cansando esse "discurso pronto" que parece ter razão, parece que foi bem pensado, mas na verdade é mera repetição para não avaliar, não pensar de fato... o princípio da MANIPULAÇÃO!!!

Não... eu não vou divulgar o vídeo editado... aliás, ele seria suficiente para o meu comentário aqui acima... mas não... divulgo o completo...



Forte abraço!

domingo, 8 de março de 2015

A mulher é dona do SEU PRÓPRIO corpo... do seu...

Olá!

Por ocasião do Dia Internacional da Mulher...

Registro meus cumprimentos, parabéns... Registro ainda que a luta continua! Ainda há muita coisa para se conquistar, sendo que mutas dessas coisas são apenas da "condição humana" que deveria sim tratar com total igualdade e ainda assim, cria diferenças...

Mas há um ponto que eu sempre me incomodo: Aborto...

Tal, para mim, será difícil entender ou até mesmo aceitar como "normal", a menos que seja natural, espontâneo... ou que haja uma decisão médica, diante de uma situação específica...

A ideia de que a "mulher é dona do próprio corpo" é correta! Só que para mim não se aplica para a questão do aborto... A mulher não pode ser tratada como "depósito de esperma", ter que aceitar sexo na hora que a outra pessoa queira... A mulher tem que poder dizer "sim" quando ela quiser... Precisa ter a liberdade de fazer o que quiser e não ser obrigada apenas por imposições sociais... não é ela a única responsável pela cozinha, limpeza ou outras tantas atribuições que muitos acham ser apenas das mulheres. Ela precisa ter o direito de ter nas mãos o controle remoto em casa, para assistir a seus programas também! E tantas outras coisas... Não deve aceitar o que lhe é imposto; deve poder decidir a sua vida... Deve fazer as suas escolhas e não ter que aceitar simplesmente por imposição o que foi escolhido para ela!

Mas... no caso do aborto... eu não entendo mais assim... já não é apenas o corpo da mulher que está na história...

Desde o momento da fecundação, a divisão celular para uma nova história começa. Numa fertilização feita fora do útero, o "óvulo fecundado" é introduzido em desenvolvimento. Se fosse possível ter as condições para o desenvolvimento fora, esse "óvulo fecundado" seria uma nova pessoa...

Logo, esse "desenvolvimento", a multiplicação celular que se desencadeia da fertilização do óvulo, no momento em que espermatozoide e óvulo se unem, só aí começa esse processo... A ideia machista de que o espermatozoide venceu a batalha e chegou primeiro, como se o novo ser vivo fosse apenas espermatozoide, é ridícula! Poderia chegar no lugar certo e o óvulo não estar pronto... Logo, essa "vitória" é quando a fertilização ocorre! Quando não tem como separar espermatozoide e óvulo...

Para mim, esse desenvolvimento já é o início de uma nova história... E como todo ser humano, precisa de apoio para o seu desenvolvimento. Não é assim por toda a vida? Não precisamos de apoio ou damos apoio no processo de desenvolvimento e de vida de todas as pessoas em algum momento de nosso tempo respirando? É assim desde o começo! Precisamos de apoio, mas para muitos que esperam por uma criança, mesmo essa criança ainda não podendo fazer nada, ainda precisando de todos os cuidados para o seu desenvolvimento, com corpo totalmente sem forma ainda, quando a gestação é descoberta bem no começo, mesmo assim pode servir sim de apoio psicológico para quem tanto a esperou! Em todos os momentos, todos nós precisamos e/ou damos apoio para outro ser humano em nossa caminhada!

Assim, mesmo que "sem corpo", aquele desenvolvimento, aquela divisão celular, não vai se transformar em outra coisa! Se fosse possível se desenvolver fora, entendo que a mulher poderia sim decidir o que fazer com o seu corpo, dando a esse novo ser se desenvolvendo (e muitos abortos acontecem com fetos formados - eu ainda estou no momento anterior, no momento da multiplicação celular que acontece desde a fecundação) a chance de ter a mesma sorte: ter o direito ao seu corpo que se forma (ou que já se formou, ainda carecendo de ficar "maduro" para o nascimento).

Mas isso não acontece! Ao decidir sobre seu corpo numa questão de aborto, a mulher tira o direito desse novo desenvolvimento iniciado ter a chance de continuar seu processo. Poderia nem nascer, é fato, mas entendo que isso precisa ser uma questão natural e não decidida por outra pessoa. No aborto, a mulher não decide apenas sobre o seu corpo, mas sobre outro ser que, ainda que não tenha seu corpo ainda, dependendo do momento do desenvolvimento, não iria se desenvolver de outra forma! Teria o seu corpo logo... não seria "outra coisa"... Poderia até não terminar seu desenvolvimento, mas outra coisa não seria...

Não acho que uma mulher que decida pelo aborto, faça isso e saia feliz do local onde realizou tal ato... Nem vai, nem sai feliz... Mas ali ela não decidiu apenas sobre o seu corpo, mas sobre outra história que já se desenvolvia...

Não sou radical... não entendo que a medicina não tenha como opinar em casos específicos...

- A mãe pode não resistir ao tempo de gestação por algum problema, mas sem a criança poderá ter outra chance... entendo que a mãe deve decidir...

- A criança está se desenvolvendo em um lugar "errado"... não tem chance de chegar ao fim do tempo de gestação, nem mesmo a um certo tempo para tentar um parto fora de tempo... a mãe corre risco por conta do local de desenvolvimento... Ainda que o desenvolvimento tenha começado, entendo que é possível sim se decidir pelo "aborto"... aliás, entendo que ele já aconteceu...

Há sim situações... Mas não querer filho, na minha opinião, não é uma válida... Não ser a hora, muito menos!

Alguns poderão dizer que, como sou pastor, meu pensamento está arraigado na questão de fé... e não é válido... Se não é digno de ser ao menos levado em conta para se meditar um pouco mais sobre o assunto, só por conta da minha questão de fé, isso nada mais é do que PRECONCEITO... Nem se observa o que tenho a argumentar por eu ser ligado com a fé? Eu não falei nada de "vida", "fôlego", "milagre"... Falei apenas e tão somente sobre a multiplicação celular que começa desde a fecundação!  E que essa multiplicação não dará nada diferente, a não ser um novo corpo! E que, como todos os seres humanos, precisa de apoio e já pode apoiar (psicologicamente)! Se isso não servir para pensar... por conta da minha fé... não pode ser tido como algo diferente, a não ser preconceito...

Entendo que a mulher tem sim direto sobre o seu corpo! Mas entendo que essa ideia não se aplica ao aborto, em particular, pois há outro corpo, mesmo que ainda em desenvolvimento, ou até desenvolvido e apenas esperando o tempo de ficar "maduro"... E isso precisa ser levado em conta...

A questão de saúde... mesmo que legalize, sempre terá quem faça de forma clandestina... pois não será porque venha a ser legalizado que as famílias não terão suas crises e as mulheres poderão sim continuar tentando esconder que fizeram isso, para evitar maiores problemas... A "Lei" é o menor dos problemas... E isso não é questão de preconceito, é apenas o direito de ser a favor ou contra algo... Preconceito é ter uma ideia, sem avaliar o assunto, pré concebida, e achar que isso resolve o caso! Eu, pessoalmente, mesmo que a lei permita, continuarei com esse pensamento que aqui apresentei... e que me preocupei em deixar de lado os aspectos e implicações religiosas! Apenas falei sobre o desenvolvimento celular... se fosse para defender com base na fé, os argumentos seriam outros...

Todos precisamos de apoio, em alguns momentos mais, em outros menos... E precisamos dar apoio... Com base no que aqui escrevo, posso afirmar que é assim desde o momento em que a fecundação ocorre até o momento do "suspiro final"! Ou até depois, para aqueles que são levados para o cemitério ou outras formas de "sepultamento" ou afins...

Que a mulher cuide de seu corpo! Mas há outras situações que envolvem apenas e tão somente o corpo dela... quando falamos de aborto, já não é só o corpo da mulher, tem algo mais na história e, portanto, para mim, essa ideia de "ser dona do seu próprio corpo" não pode ser usada para esse assunto em particular...

Forte abraço!

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Explica... mas não Justifica

Olá!

Essa coisa do "ódio" normalmente parte de quem se sente "vítima" no processo e desperta reações dos outros que não concordam com a visão que leva a essa "vitimização"...

Não... não estou defendendo a reação... Lembra da história do "explica, mas não justifica"? É apenas isso... eu entendo como surge, mas não concordo nem com o processo que dá início a esse processo e nem o desenrolar do mesmo...

Essa história da imprensa manipular já passou da conta! Quando interessa para Petistas e simpatizantes, a mesma imprensa que eles declaram que manipula, é usada para atacar os outros... E se a imprensa está manipulando com relação aos outros? Só que quando interessa, usam... quando é "contra" eles, dizem que é manipulação... E a "cara de pau" é tamanha que nem se mostram preocupados em explicar essa incoerência! Isso gera uma parte do tal "ódio"...

Mas antes disso... a "demonização" do tempo de FHC (inclusive usando a mídia da ápoca - e hoje, a mídia era favorável ao tucano, mas ainda assim, essa mesma mídia tinha reportagens que causavam problemas aos tucanos - voltamos ao ciclo da "cara de pau"), que teve muitos avanços, só não teve mais porque a moeda vinha ainda se estilizando e os investimentos ainda eram pequenos por parte de investidores (empreendedores), com medo que a qualquer momento a moeda "falhasse" de novo... e teve a crise dos "Tigres Asiáticos"... quando isso se estabilizou e a moeda estava em ordem, o mundo teve medo de investir por conta da possibilidade de eleição de Lula, que, independente da "desconstrução" da imprensa (que acontecia, mas não era tanto quanto se diz), tinha sim discursos que poderiam complicar todo o processo! Principalmente porque o PT tinha sido contr o Plano Real! E era esse plano que trazia a estabilidade que fazia o mundo olhar para o Brasil com outros olhos... Sem contar que, a partir de 2001, ele começou o processo dos programas sociais! E em 2000, quando isso era discutido, Lula comparou com o que Cabral fez com os índios ao chegar no Brasil... depois, ampliou... que bom que Lula mudou de ideia sobre o Plano Real e sobre os programas sociais... o chato é que tucanos deram declarações que mostraram que eles mudaram de opinião também...

FHC não foi o demônio... poderia ter feito mais... mas fez com responsabilidade... Logo, quem o defende, se sente atacado por esse ódio ao FHC e devolve ódio com ódio...

Assim, temos ódio das duas partes... As redes sociais mostram isso... Os exageros partem dos dois lados... Mas são muito mais fantasiosos por parte do PT, pode ter certeza... Só que o fato de ter isso dos dois lados, impede a cítica simplesmente... No entanto... os dois lados querem criticar... e as fantasias geram mais paixões que os números reais... E ódio é uma forma de paixão... não é o contrário de amor... O contrário de amor é a indiferença...

Aí... temos as críticas ao Lula... tem muito o que criticar... mas não tanto quanto se faz... e, como no caso de FHC, "demonizam" Lula... e isso gera em parcela da população a contra-partida desse "ódio"... com ódio... e as comparações ficam intermináveis, para tentar achar o "menos pior"... e alguns ainda tentam dizer que o que falam do seu "defendido" é mentira! Os erros, existem nos dois... mas há acertos e o contexto histórico precisa ser levado em conta... o tempo de FHC era um e o de Lula, era outro... internacionalmente, na estabilidade da moeda, no interesse do investimento...
´
E chegamos em Aécio e Dilma...

Aécio - Aeroporto... Dilma - Petrobras...

Aécio - recusa no teste do bafômetro (e a lei permite isso! Você e eu podemos recusar o teste do bafômetro, porque ninguém é obrigado a produzir provas contra si mesmo)... Dilma - andou num carro sem cinto de segurança e com uma criança no colo (isso a lei não permite!)

Aécio - agressão a uma mulher (namorada)... Dilma - sequestro, roubo e afins no tempo do Regime Militar (dizem que era uma luta contra o Regime Militar, mas acho que isso apenas foi o contexto histórico e poderíamos ter muitas coisas parecidas mesmo sem Regime Militar numa luta da "esquerda")...

Aécio - FHC... Dilma - Lula...

Aécio - irmã que trabalhou sem remuneração (será?)... Dilma - irmão que não trabalhou e teve remuneração (será?)...

E assim... temos o acirramento dos ânimos, pois que defende um acha que o que o outro fez é mais sério... E sempre tem mais coisas de cada um dos lados... Citei as "mais famosas"...

Esse ódio nasce na luta contra FHC... no não reconhecimento em Campanhas do que se reconhece em entrevistas fora das campanhas... Os militantes ficam apenas com as críticas e nunca com os elogios que Lula ou Dilma deram e dão ao FHC... Segue na luta contra uma "desconstrução" de Lula (sendo que muita coisa não é ação da imprensa, mas a revelação do que Lula fez e falou mesmo - em muita coisa ele mudou e aí, não é desconstrução, mas apresentação do que era... se mudou depois, é preciso que ele reconheça que antes falavam a verdade e que agora ele mudou e não que era mentira o que falavam antes, pois antes era sim verdade... deixa de ser com as mudanças)...

E os dois lados ficam nessa luta sem sentido... Quer seja apenas por campanha, quer seja porque é totalmente contra... sei lá... tudo depende de quem fala e do que fala... E mesmo assim... há exageros que geram mais ódio ainda... Não justifica, não torna certo... apenas explica, pelo menos, para mim...

Forte abraço!